Todo azul na taça. Vinho? Não só.

Lançado há alguns meses na Espanha por quatro jovens que ainda não chegaram aos 30 anos, o vinho Gïk está enfrentando seu primeiro verão europeu ainda cercado de curiosidade e alguma desconfiança. Mas os estudantes da Universidade do País Basco não estão nem aí para as críticas quanto às virtudes enológicas de seu produto e pedem que as pessoas “esqueçam que estejamos falando do líquido que representa o sangue de Cristo na missa”. Para eles, Gïk “não é um vinho azul, mas sim a representação do que nos move: a rebeldia criadora”.

Ele é docinho e tem 11,5 graus de teor alcoólico, feito com uma mistura de uvas brancas e tintas com a adição de antocianinas (pigmentos naturais presentes na casca das uvas) e, pulo do gato, com pigmentos indigo responsáveis pelo azul cobalto do líquido. Nenhum dos jovens tem experiência vinícola e a pesquisa foi desenvolvida por uma empresa de inovação basca, a Azti Tecnalia. E fazem questão de dizer que não têm escritório fixo, fazendo vendas por smartphone, internet ou e-mail. Agora, esperam atravessar o próximo inverno e esperar o verão de 2016 para saber se a vida vai estar bem azul para eles.

Anúncios