Misturar champagnes é bom? Veja este resultado

 

Veuve Clicquot gfO mundo do champagne vive de sonhos e as maisons seculares da famosa região francesa estão o tempo todo buscando novas formas oníricas de agradar os consumidores. É o que fez a tradicionalíssima Veuve Clicquot ao lançar no mercado brasileiro o champagne Extra Brut Extra Old.

Quase todo mundo identifica o rótulo amarelo do champagne super conhecido no Brasil e a intenção da nova marca, segundo o chef de cave Dominique Demarville, que veio aqui especialmente para o lançamento, foi criar mais uma versão especial de seu produto, desta vez usando apenas um blend com vinhos de reserva premiados. Veuve Clicquot Extra Brut Extra Old é produzido com safras millesimés de 1988, 1996, 2006, 2008, 2009 e 2010.

O resultado foi sentido no Manioca, casa de eventos de Helena Rizzo, do restaurante Maní, recepcionado por Sergio Degese, diretor geral da marca no Brasil. No almoço, um menu à altura da novidade da Veuve Clicquot, com um destaque absoluto: a pescada amarela com tucupi, banana da terra e as já famosas migalhas do Maní ou: farofa crocante com vários tipos de pão. Combinou muito bem com o champagne agora lançado, que mostrou acidez gostosa e vibrante, aromas frescos para um produto “old” e fino equilíbrio de sabor. (Valor médio garrafa 750 ml: R$ 670,00)

Veuve Clicquot 1

Sergio Degese (esquerda) e Dominique Demarville

Anúncios

Barolo à mesa, sempre bom. Com cordeiro, melhor ainda

Paleta desossada de cordeiro, com batatas gratinadas. Terraço Itália

O Piemonte é uma das regiões vinícolas mais importantes da Itália, com muita história e alguns vinhos míticos, como o Barolo. Ele é essencialmente gastronômico, com uma acidez límpida e taninos finos, ótimo para acompanhar boas carnes. Nem sempre com preço acessível, ele passeia pelo imaginário de muita gente e, às vezes, surge uma boa oportunidade para experimentá-lo. É o caso do jantar no próximo dia 16 de maio, às 20h00, no Terraço Itália, onde dois vinhos dessa denominação de origem italiana, junto com outros da mesma região, estarão acompanhando pratos do chef toscano Pasquale Mancini.

Os vinhos são da vinícola piemontesa Gianni Gagliardo, da comuna de La Morra, em parceria com a importadora World Wine. Por R$ 220,00 por pessoa + 12% de taxa de serviço, o jantar inclui drinque de boas-vindas, seguindo com Arancini di Gorgonzola dolci e Barbera D’Alba Madama 2015; Melanzane in crema di Parmigiano com Nebbiolo D’Alba San Ponzi 2013; Risotto allo zaferano, piselli e ragù de ossobuco com Barolo Suoi 2013 e Spalla d’agnello disossata con patate gratinate (foto) com Barolo DOCG 2009, vinho com pontuações acima de 90 pontos de críticos influentes. Sobremesa: Semifreddo di zabaione con amarena. Reservas: (11) 2189-2929

Terraço Itália

Estes vinhos chilenos, admirados pela qualidade e preço justo

BIO - Emiliana - Chile - corredor biológico

Há alguns anos visitei as vinícolas Emiliana e Cono Sur, no Chile, interessado em conhecer seus métodos biodinâmico e orgânico no cultivo, sem o uso de pesticidas e com corredores biológicos entre os vinhedos (foto), uma tendência cada vez mais irreversível e boa para nós, consumidores. Desde então passei a apreciar seus vinhos, que exibem qualidade e bom preço em suas linhas mais acessíveis, entre 35 e 40 reais a garrafa. Esse sem dúvida é um dos componentes que justificam o fato de que ambas estão, segundo acaba de publicar a revista Drinks International, entre as 50 marcas de vinho mais admiradas do mundo.

O “The World’s Most Admired Wine Brands” é um ranking anual feito com a participação de especialistas, com uma série de critérios onde são avaliados a qualidade consistente e crescente dos vinhos, a região ou país de origem, as necessidades e gostos dos consumidores, além da comercialização e distribuição dos vinhos.

Os vinhos da Cono Sur e Emiliana são importados pela La Pastina.

A cozinha portuguesa do jeito que ela se gosta. E como nós gostamos!

Restaurante TrindadeBacalhau Gomes de Sá
Bacalhau Gomes de Sá, Restaurante Trindade (SP), foto do grande Mauro Holanda

Bela iniciativa da poderosa Herdade do Esporão, do Alentejo, que elabora alguns dos melhores vinhos portugueses: uma série no YouTube com 19 episódios em 59 vídeos, de 50 localidades do país. E com um delicioso nome: Esporão & A Comida Portuguesa A Gostar Dela Própria.

Um projeto muito interessante, à procura das raízes da gastronomia portuguesa com 16 chefs renomados contando segredos de suas principais receitas, muitas delas com ingredientes regionais e pouco conhecidos, como a muxama (atum prensado e seco) e as ovas de polvo também com o mesmo processo, típicas do Algarve.

Observação (que em nada desmerece a iniciativa): vi alguns capítulos e às vezes é bastante difícil entender as frases inteiras de alguns participantes, sobretudo por causa do ambiente fechado em que foram gravados, com ecos. As legendas são em inglês e por curiosidade resolvi clicar na versão portuguesa, “gerada automaticamente”, isto é, através de algoritmos. No primeiro vídeo que vi, o entrevistador Tiago Pereira conversa com o chef André Magalhães, da Taberna das Flores, de Lisboa. E a primeira frase de Tiago aparece legendada assim: “Comida tem uma coisa. Ainda tenho uma coisa te diria que a história dos tambores de vitórias em mendonça de um gol em dois tribunais”. Fiquei a ver naus…

Independente disso, vale muito a pena assistir os episódios generosos da Esporão, porque a comida portuguesa, ainda que vertida em algoritmos, é antes de mais nada feita de sentimentos profundos, seculares, verdadeiros.

O link do canal: www.youtube.com/channel/UC-auK24fZQ_N3zBKqCNzGnQ

10 frases de celebridades sobre o champagne, tão boas quanto seu sabor

champagne

“Só bebo champagne em duas ocasiões: quando estou amando e quando não estou”. Coco Chanel

“Chega um momento na vida de toda mulher que a única coisa que pode salvá-la é uma taça de champagne”. Bette Davis

“A única coisa da qual me arrependo nesta vida é a de não ter bebido suficiente champagne”. John Maynard Keynes

“Só as pessoas pouco criativas não conseguem encontrar uma razão para beber champagne”. Oscar Wilde

“O champagne é o único vinho que embeleza a mulher depois de bebê-lo”. Madame Pompadour

“Champagne! Na vitória é merecido, na derrota é necessário”.  Napoleão Bonaparte

“As grandes histórias de amor começam com o champagne”. Honoré de Balzac

“Qualquer coisa em excesso é ruim, mas muito champagne é bom”. Scott Fitzgerald

“O champagne leva ao deslumbramento”. George Sand

“Há três coisas na vida que não suporto: café queimando, champagne morno e mulheres frias”. Orson Welles

Um insinuante vinho oxidado e outras novidades Sonoma

vernaccia_di_oristanoFiquei encantado com um vinho em degustação da distribuidora Sonoma. Oxidado! Em princípio, essa característica afasta muitas pessoas da boca da taça e pode ser um defeito que torna o vinho intragável, mas é desejável em alguns outros. Caso do Vernaccia di Oristano (nome da uva, na foto) Riserva 2004 do produtor Silvio Carta, da Sardegna, Itália. Com linda cor âmbar, aromas de frutas secas (avelãs, nozes) e torrefação, chega à boca austero, mas vai revelando um incrível equilíbrio entre acidez e leve doçura. Um ótimo aperitivo e também baila com ostras e sobremesas não muito doces.

Para atingir a benéfica oxidação, este vinho permanece nada menos de 50 meses em barricas (a madeira, porosa, permite a entrada sutil de oxigênio). Tem o estilo do jerez amontillado espanhol e lembra o vin jaune francês. Por causa desse tempo de espera antes de chegar ao mercado, esses vinhos costumam custar caro, mas o preço é amigável: R$149,90

Outros vinhos lançados pela da Sonoma  e que me agradaram foram o Domaine Les Deux Moulins Sauvignon Blanc 2015 (Loire, França, de cultura orgânica, fresco e expressando bem a uva, por R$79,90; o Lagar de Costa Albariño 2016, da região de Rías Baixas, Espanha, com sua pegada mineral perfeita para os frutos do mar no verão, também por R$79,90 e o Château Bolaire Bordeaux Supérieur 2009 (excelente safra, R$169,90) para quem aprecia, como eu, tintos de textura mais densa, com aquele cheirinho de folhas secas caídas no bosque (ao cair da tarde!).

Novos e bons vinhos da Mistral

 

Mistral

A importadora Mistral tem há vários anos um catálogo respeitável, fruto do amplo conhecimento de vinhos do seu proprietário Ciro Lilla. A empresa alia produtos de imensa reputação, sobretudo europeus, a outros onde a qualidade é acompanhada por preços razoáveis. Recentemente, ela apresentou alguns novos lançamentos, dos quais destaco os seguintes:

Bordeaux Chevalier Lassalle 2015 – Corte de Cabernet Sauvignon (60%) e Merlot, com bom frutado, taninos firmes, gostosa presença na boca. R$75,40

Château Pilet 2014 – Com Merlot, Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc, é um Bordeaux ao estilo Novo Mundo, com aroma e gosto amáveis. R$89,18

Nuaré Pinot Nero/Merlot 2014 – Bela combinação das duas uvas pelo respeitado produtor Livio Felluga, de Friuli, na Itália. Vinho delicioso. R$206,24

Eleivera 2013 – Vinho feito no Douro, Portugal, pelo conhecido produtor francês Michel Chapoutier. 100% Touriga Nacional, elegante e equilibrado. R$137,38

Carmen Gran Reserva Carignan 2014 – Boa surpresa da Viña Carmen com a Carignan cultivada no Vale de Maule, Chile. Aroma de frutas maduras, corpo envolvente. R$137,38

Allo Alvarinho/Loureiro 2015 – Ótima mescla das duas uvas típicas do Minho, região dos vinhos verdes, pela Quinta do Soalheiro. Um vinho delicado, feminino, de fina acidez. R$102,95

La Camioneta Sauvignon Blanc 2016 – Da famosa Viña Montes, do Chile, um branco fresco e agradável com suas notas cítricas pronunciadas. R$65,08

Mosel Incline Riesling QBA 2015 – Alemão do produtor Selbach com o estilo típico da Riesling daquele país, com pegada mineral expressiva. R$102,95

Zeltinger Riesling S-O QBA Trocken Bomer 2015 – Do mesmo produtor acima e também do Mosel, mas com maior densidade de aroma e gosto. R$235,85

Côtes de Provence Grand Ferrage 2015 – Opção para os apreciadores de rosé, feito no Rhône por Chapoutier com várias uvas. Típico, levemente cítrico. R$147,71

A Mistral cota seus vinhos em dólar. Os preços acima em reais estão em seu site.