Uma torta Tatin à brasileira, com figo, mascavo e cachaça

Uma das sobremesas mais interessantes do mundo da confeitaria é a torta das irmãs francesas Caroline e Stéphanie Tatin, que a teriam desenvolvido por acaso, ao verificar que a massa de uma torta de maçã comum havia queimado. Então, aproveitaram os pedaços de maçã já caramelizados e colocaram massa folhada por cima para evitar que eles se queimassem definitivamente. Após dourá-la no forno inverteram a torta em um prato e pronto, estava criada a Tarte Tatin hoje mundialmente famosa. Isso ocorreu em meados do século 19 na cidade de Lamotte-Beuvron, região de Sologne.

Já dei aqui a receita original, com maçã, mas resolvi fazer esta com figo, usando açúcar mascavo e, claro, uma boa cachaça envelhecida. Quem acompanha minhas receitas na revista Casa e Comida, da Editora Globo, sabe que gosto de usar bebidas alcoólicas para marinar, aromatizar e flambar pratos salgados ou doces.

Para fazer esta Tatin bem brasileira, comece lavando os figos (usei 16) e depois corte-os ao meio. Em uma frigideira que possa ir ao forno faça um caramelo com uma xícara e meia de açúcar e duas doses de boa cachaça. Coloque os figos com a parte cortada para baixo e deixe em fogo médio por 15 a 20 minutos. Retire do fogo, deixe esfriar um pouco. Corte a massa folhada em tamanho circular um pouco maior que a frigideira e estenda-a por cima dos figos, apertando as bordas para dentro. Leve ao forno a 200°C por 25 a 30 minutos, até dourar bem. Retire e após alguns minutos, ainda quente, vire a torta com cuidado em um prato, usando pano ou luvas apropriadas. Dica: sirva com sorvete de creme.

Anúncios